Arautos d'El-Rei | Papa Bento XVI relaciona laicismo de Zapatero com anticlericalismo da República
415
post-template-default,single,single-post,postid-415,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive
Cartaz republicano

Papa Bento XVI relaciona laicismo de Zapatero com anticlericalismo da República

De acordo com uma notícia divulgada pelo diário espanhol “El País” (6-11-2010) o Papa Bento XVI mostrou-se preocupado pela existência de um “laicismo agressivo” na Espanha socialista de Zapatero, relacionando-o com o anticlericalismo da Segunda República, que vigorou nos anos 30 e que acabou em guerra civil.

Com efeito, a visita do Sumo Pontífice — conforme notou a Agência Faro (7-11-2010) — foi acompanhada de uma série de gestos cuidadosamente preparados, tais como as provocações de rua feitas por comunistas e socialistas, por homossexuais e “cristãos de base”, a intervenção de altas autoridades eclesiásticas para desconvocar manifestações de apoio ao insigne visitante e a nomeação de pessoas de segunda categoria para recebê-lo (o Príncipe Felipe, em vez do Rei Juan Carlos, como era devido pelo Protocolo). Por sua vez, a Rainha Sofia foi visitar um Jardim Zoológico, enquanto Zapatero foi para o Afeganistão “dar ânimo” às tropas espanholas ali estacionadas.

Neste cartaz republicano da Guerra Civil de Espanha (1936-1939) está bem patente a inspiração comunista da facção republicana, sobejamente manifestada nas implacáveis  perseguições movidas contra os católicos.



Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close