Arautos d'El-Rei | Sem Tradição não há Família
846
post-template-default,single,single-post,postid-846,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive
Tradição e Família

Sem Tradição não há Família

“A alma da família, a sua vida, a sua lei, é o respeito aos ancestrais. Sem a tradição, a família não é senão uma aglomeração passageira de existências individuais, formada pelo interesse momentâneo e que não dura mais do que este. Já não é família. Ora, para que os filhos continuem a tradição do pai, é preciso que eles sucedam aos bens que o trabalho dele criou, que continuem a possuir o domínio no qual se fixa e se incorpora o ser moral da família; é preciso que a família tenha o seu lar, em torno do qual se agrupem todos aqueles sobre os quais se exerce a soberania do pai. A família não tem vida própria e real senão pela liberdade do seu lar; ela não tem duração completamente assegurada, e nem sequer plena identidade, senão pela transmissão hereditária do domínio e do lar paternos. Tirar-lhe a perpetuidade do lar é tirar-lhe grande parte da sua força; tirar-lhe absolutamente a hereditariedade do património, seria tirar-lhe a própria vida” (Charles Périn, “Les Lois de la Société Chrétienne”, Librairie Jacques Lecoffre, Paris, 1875, t. I, p. 344).



Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close