Arautos d'El-Rei | O fundamentalismo anti-cristão da Comissão Europeia
467
post-template-default,single,single-post,postid-467,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive
Agenda Escolar UE

O fundamentalismo anti-cristão da Comissão Europeia

Mais um passo para a proscrição do Cristianismo na Europa

A Agenda Escolar que acaba de lançar a União Europeia omite intencionalmente todas as festas cristãs — incluindo o Natal — e introduz festas dos calendários muçulmano, sikh ou hindu, que nunca tiveram expressão entre nós. Com esta medida facciosa e fundamentalista, a Comissão Europeia dá assim mais um passo importante para a proscrição do Cristianismo no seu próprio território.

A Agenda Escolar da União Europeia omite o Natal e outras festas cristãs, propondo a celebração do Baisakhi-Day dos sikh, do Yom Kippur judeu, do Janmâshtami hindu e do Aïd-el-Kébir muçulmano.

ESTRASBURGO, 14 Jan. 2011 / 08:10 (ACI) – A Comissão Europeia lançou uma agenda escolar para o ano 2011-2012 na qual omite todas as festas cristãs, incluindo o Natal mas integrando festas importantes dos calendários judeu e muçulmano.
A União Europeia (UE) mandou imprimir três milhões de exemplares desta agenda que se distribui gratuitamente aos professores para que eles a divulguem entre os seus alunos. Para obtê-la, basta pedi-la.
Sobre isto, a política francesa, ex-ministra e consultora do Pontifício Conselho para a Família, Christine Boutin, disse no passado dia 11 de Janeiro que a agenda simplesmente descarta o cristianismo, “a religião praticada ou reconhecida como formadora da estrtura cultural do nosso ‘velho’ continente“.
Para a também presidente do Partido Cristão-Democrata (PCD) na França, o cristianismo “simplesmente desapareu das arcas da tecnocracia de Bruxelas (sede da UE) para cair nos limbos da ignorância colectiva“.
Boutin denuncia além disso que esta agenda propõe “celebrar o Baisakhi-Day dos sikh, o Yom Kippur judeu, o Janmâshtami hindu e o Aïd-el-Kébir muçulmano, mas não o Natal“.
Sobre este inaceitável “esquecimento” o PCD lançou uma petição à UE para que a agenda, na sua versão actual, não seja distribuída e para que a versão que for entregue às crianças e jovens mencione explicitamente as festas cristãs.
Este grupo explica que “o papel da religião cristã na formação da Europa é um facto histórico inegável” que a UE não pode ignorar, pois isso seria “instruir os jovens negando uma religião que contribuiu muito para a sua construção e unidade”.
Na petição, também assinalam “a religião cristã é a primera das religiões da Europa. Portanto, é impensável negá-la, uma vez que se reveste de uma importância fundamental na vida de todos“.
Para se unir a esta petição (em francês e inglês) pode ir a: http://www.agendaeurope.fr/

Leia também (em inglês): “EU sends out millions of diaries to schools listing Muslim holidays but omitting Christmas and Easter” [A União Europeia distribui milhões de agendas às escolas, referindo os feriados muçulmanos mas omitindo o Natal e a Páscoa]



Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close