Arautos d'El-Rei | O esquecimento dos ideais…
649
post-template-default,single,single-post,postid-649,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

O esquecimento dos ideais…

“Quando uma nação começa a manifestar maior interesse pelos conflitos de opiniões do que pela permanência dos princípios, é porque soou para ela a hora de fazer exame de consciência.
“Quando a virtude e o vício, o patriotismo e a traição, a pureza e a podridão descem a uma pista de circo, em torno da qual os espectadores apenas se interessam pelo espectáculo de os verem a esmurrar-se mutuamente, chegou o momento de se deplorar que nada reste já de tão sagrado que valha a pena morrer-se em sua defesa, e nada de tão vil que se deva combater com todo o ardor.
” Quais são os factores psicológicos e espirituais capazes de provocar em qualquer país semelhante situação? Bastará talvez mencionar dois: o esquecimento dos ideais, dos fins a atingir e dos autênticos valores e, como resultante desta primeira causa, a vacuidade e a solidão das almas.”

Fulton Sheen, “Os Problemas da Vida”, Livraria Figueirinhas, Porto, 1956, 2ª Edição, Cap.V, pág.23.



Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close