Arautos d'El-Rei | NÃO ao Acordo Ortográfico
343
post-template-default,single,single-post,postid-343,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

NÃO ao Acordo Ortográfico

________________________ 

Um atentado contra o nosso património, o nosso povo e o nosso desenvolvimento

“A consolidação das nossas fronteiras políticas levou cerca de 100 anos ou quatro gerações (do Fundador a El-Rei Dom Afonso III, seu bisneto), mas o desenvolvimento e a consolidação de uma ortografia entre nós levou cerca de 700 anos (ou seja, mais de 20 gerações) desde o início do século XIII até finais do século XIX e inícios do século XX.

A presente reforma ortográfica, com as suas facultatividades, abstrusidades e barbaridades, significa nem mais nem menos do que a morte do conceito de ortografia em Portugal, o fim de uma norma gráfica estável, a abolição de noções claras de correcção. […]
“O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990 é objectivamente um atentado contra o nosso património, o nosso povo e o nosso desenvolvimento.”

Fonte: António Emiliano, “Apologia do Desacordo Ortográfico – Textos de intervenção em defesa da Língua Portuguesa contra o Acordo Ortográfico de 1990”, Verbo, 2010, pág.38.



Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close