Arautos d'El-Rei | Leis imorais “não são de respeitar”, afirma o Cardeal D. António Cañizares
334
post-template-default,single,single-post,postid-334,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

Leis imorais “não são de respeitar”, afirma o Cardeal D. António Cañizares

MADRID, 2 Ago. 2010 – ACI
O Cardeal António Cañizares, Prefeito da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, declarou que as normas que não protegem a vida ou que vão contra ela “
não são de respeitar“.
Ao encerrar o curso de Verão sobre “O imenso valor da Vida”, na Universidade Juan Carlos, em Aranjuez (Espanha), o Cardeal Cañizares explicou que quando uma norma “legaliza” o aborto ou a eutanásia, “
deixa de ser uma verdadeira lei civil moralmente vinculante“.
Neguemo-nos a cooperar com qualquer iniciativa que atente contra a vida, não concedamos a nossa adesão a pessoas, instituições, obras ou disposições que vão ou que pretendam ir contra a vida, pois não podemos aderir a quem nega algo tão fundamental, comentou.
Explicou igualmente que “quem nega o direito à vida está contra a democracia e conduz a sociedade ao desastre”.
“Não tardará o tempo em que nos envergonharemos [do aborto], assim como já nos envergonhámos da escravatura”, acrescentou.



Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close