Arautos d'El-Rei | A islamização do Natal na Europa
1457
post-template-default,single,single-post,postid-1457,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

A islamização do Natal na Europa

A principal causa do avanço do Islão na Europa continua a ser a cumplicidade e a traição da classe política  (apoiada pelos respectivos votantes) em quase todas as Nações.

Com o objectivo de dar uma aparência multicultural e tolerante, muitas foram as autoridades que em todo o Continente promoveram paradoxalmente uma “nova forma” de comemorar o Natal em 2017, dando-lhe nomes como “Desfile de Inverno”, “Confraternização de Inverno”, Festival de Inverno” ou “Mercado de Inverno”.

É interminável a lista dos favorzinhos feitos pelos responsáveis políticos europeus aos muçulmanos, para não os melindrar, espezinhando no entanto as milenares tradições europeias do Natal cristão.

Talvez seja esta a tal “magia do Natal” de que agora tanto se fala mas que outra coisa não é senão a adulteração do sentido religioso da mais simbólica Festa da Civilização Cristã.

Leia mais aqui.

Foto: “Festival Plaisirs d’Hiver” em Bruxelas (Bélgica) As comemorações natalícias na Europa não têm qualquer significado religioso e tornaram-se praticamente iguais a todas as outras. Não há geralmente alusão ao Nascimento do Salvador, ao Presépio ou à Cruz, pelo contrário, tudo é feito em função da diversão e do prazer. Enquanto a Europa afunda, o Islão avança…

 

 



Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close