Arautos d'El-Rei | A islamização do Natal na Europa
1457
post-template-default,single,single-post,postid-1457,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

A islamização do Natal na Europa

A principal causa do avanço do Islão na Europa continua a ser a cumplicidade e a traição da classe política  (apoiada pelos respectivos votantes) em quase todas as Nações.

Com o objectivo de dar uma aparência multicultural e tolerante, muitas foram as autoridades que em todo o Continente promoveram paradoxalmente uma “nova forma” de comemorar o Natal em 2017, dando-lhe nomes como “Desfile de Inverno”, “Confraternização de Inverno”, Festival de Inverno” ou “Mercado de Inverno”.

É interminável a lista dos favorzinhos feitos pelos responsáveis políticos europeus aos muçulmanos, para não os melindrar, espezinhando no entanto as milenares tradições europeias do Natal cristão.

Talvez seja esta a tal “magia do Natal” de que agora tanto se fala mas que outra coisa não é senão a adulteração do sentido religioso da mais simbólica Festa da Civilização Cristã.

Leia mais aqui.

Foto: “Festival Plaisirs d’Hiver” em Bruxelas (Bélgica) As comemorações natalícias na Europa não têm qualquer significado religioso e tornaram-se praticamente iguais a todas as outras. Não há geralmente alusão ao Nascimento do Salvador, ao Presépio ou à Cruz, pelo contrário, tudo é feito em função da diversão e do prazer. Enquanto a Europa afunda, o Islão avança…