Arautos d'El-Rei | A “Direita” ao serviço infame da Esquerda e da Revolução
672
post-template-default,single,single-post,postid-672,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

A “Direita” ao serviço infame da Esquerda e da Revolução

Em Espanha como em Portugal, os partidos “conservadores” têm-se mostrado mais úteis à Revolução do que os próprios partidos revolucionários…

«Aborto de direita»

«Dizia Balmes que os partidos “de instinto moderado e sistema conservador” acabariam por se converter em conservadores dos interesses criados por uma revolução consumada e reconhecida“… e que também acabariam por se revelar mais úteis à Revolução do que os próprios partidos revolucionários. Assim acontece com a questão do aborto, onde se vê como o partido conservador se converte, enquanto governa, em conservador dos “avanços” do Partido Socialista, para que o Partido Socialista possa continuar “avançando” primorosamente, seguro de que o partido conservador conservará as coisas no ponto exacto em que ele as deixou.
«Foi o que aconteceu durante os dois mandatos de Aznar, em que se “conservou” fielmente a legislação despenalizadora do aborto, impulsionada por González, para que Zapatero pudesse continuar “avançando”. E é o que ocorre agora, apesar de todas as contorsões e fingimentos que o novo governo conservador exibiu aos espectadores. Ano e meio depois de subir ao poder com maioria absoluta, a legislação sobre o aborto continua a ser a que Zapatero deixou.» (*)

Não há palavras que descrevam melhor o que se passa em Portugal

(*) Agência FARO (9-4-2013)
(Tradução da nossa Redacção)