Arautos d'El-Rei | A “educação sexual” e a nova perseguição “democrática”, ateia e psiquiátrica
614
post-template-default,single,single-post,postid-614,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
Antonio Gramsci

A “educação sexual” e a nova perseguição “democrática”, ateia e psiquiátrica

A maioria dos leitores não se dá conta do que está por detrás do infame programa de “Educação Sexual” promovido por muitos políticos, por diversos órgãos governamentais e por entidades privadas. O seu verdadeiro nome deveria ser “Programa de Perversão Infantil“.

Sob pretexto de educar as crianças, o que na verdade se pretende é corrompê-las desde a mais tenra idade, a fim de se tornarem mais tarde “cidadãos conscientes” à imagem do “homem novo” com que sonham os revolucionários de vanguarda.
Essa ideia – uma autêntica subversão cultural – não é nova. Ela provém de Gramsci (foto) e vem sendo aplicada em todo o Ocidente, com especial radicalismo na Alemanha, na Espanha ou no Brasil… e gradualmente em Portugal…

A subversão cultural de Gramsci surgiu do facto de ele ter chegado à conclusão que não era possível o triunfo da Revolução apenas através da transformação das estruturas sociais, devido à resistência dos homens.

Para eliminar essa resistência, era necessário mudar interiormente o próprio homem, “educando-o” desde a mais tenra idade, encharcando-o de conceitos e hábitos revolucionários, para que mais tarde ele próprio quisesse “mudar”, expressando a sua vontade através dos mecanismos próprios dos regimes ditos “democráticos”, ao menos numa primeira fase.

Vejamos então alguns casos elucidativos da transição desses regimes “democráticos” para os novos sistemas autoritários, em que os valores cristãos começam a ser objecto de uma perseguição “democrática”, ateia e psiquiátrica, exactamente como nos regimes comunistas (vulgarmente conhecidos como repúlbicas “democráticas” ou “populares”…).

Muro de BerlimNa Alemanha, por exemplo, há dezenas de pais a cumprir pena de prisão por terem impedido os seus filhos de assistir a aulas de “educação sexual”. Tal foi o caso de uma mãe de 12 filhos em Salzkotten (Renânia do Norte) que recebeu pena de 43 dias de prisão por ter impedido, juntamente com o seu marido, que três dos seus filhos assistissem a aulas de “educação” sexual na Escola Liborius (1). Foram também detidos dois pais (um com 8 filhos e outro com 10 filhos) por não terem autorizado as suas crianças a participar no programa “O meu corpo é meu” que envolvia uma “representação teatral” com cenas chocantes.

Na Venezuela, onde está igualmente bem avançado o processo da perversão sexual, o governo comunista de Hugo Chávez já implementou uma mudança na Lei da Educação, através da qual fica declarada a cessação do pátrio-poder até aos 20 anos de idade e drasticamente limitado – para não dizer eliminado – o convívio das crianças entre os 3 e 10 anos com seus respectivos pais! (2).

Numa escola de Rio Branco (capital do Estado do Acre, Brasil), os alunos foram fechados nas salas de aula com os respectivos professores e obrigados a assistir aos vídeos do “kit gay” (3), cuja implementação está em curso, prevendo-se a aplicação de medidas drásticas para quem se opuser (3).

Estes são apenas alguns dos inúmeros exemplos que ilustram a radical transformação pela qual está a passar o chamado “Mundo Livre”.

Recorde-se mais uma vez que a Revolução Socialista está sempre associada à “revolução sexual”, pois esta é indispensável para se conseguir a transformação “interior” das novas gerações, a rejeição total aos valores cristãos e a implementação de uma “nova ordem” sem Deus, sem Religião, sem Família e sem Liberdade.

Luís Filipe Ferrand d’Almeida

Fotos:

(1) Antonio Gramsci (1891-1937) foi um líder comunista italiano e cientista político, cujas ideias e conceitos contribuíram fortemente para refinar a doutrina marxista da luta de classes e a subversão da sociedade cristã.

(2) Muro de Berlim. O comunismo soviético criou em 1961 a chamada República Democrática Alemã (ou Alemanha Oriental) separando-a da Alemanha Ocidental por uma fronteira fortificada e isolando completamente a parte ocidental de Berlim por meio de um muro e de uma zona de segurança praticamente intransponíveis. As pessoas que não queriam viver sob o regime comunista eram presas ou abatidas a tiro quando tentavam fugir da Alemanha Oriental para a Ocidental, transpondo o Muro de Berlim ou qualquer ponto da fronteira. A perseguição religiosa e ideológica que caracterizou o regime comunista, começa agora a aplicar-se no “Mundo Livre”, por enquanto “só” com pena de prisão…

Fontes:
(1) Revista “Katolisches”, 09-02-2011
(2) http://www.aporrea.org/educacion/a80652.html
(3) http://juliosevero.blogspot.com/2011/06/escandalo-alunos-do-acre-sao-trancados.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+JulioSevero+%28Julio+Severo%29