Arautos d'El-Rei | A repressão da Imprensa na 1ª República
359
post-template-default,single,single-post,postid-359,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

A repressão da Imprensa na 1ª República

A Plataforma do Centenário da República (*) organizou uma Exposição subordinada ao tema “A Repressão da Imprensa na 1ª República”, cuja inauguração contou com a apresentação do jornalista e cronista José Manuel Fernandes.
Trata-se da exibição de um conjunto de várias dezenas de quadros que evidenciam a existência de um sistema repressivo regular e duradouro, mantido ao longo da primeira república.

Durante esse período o regime estabeleceu formas imaginativas, directas e eficazes, de impedir o acesso do público aos textos perniciosos ou nefastos ao regime: o uso o assalto, a apreensão, a suspensão, e até a censura sem fundamento legal de jornais ou artigos foi tão frequente e continuado, que no seu conjunto constituiu um sistema repressivo sólido e consistente. A estratégia era a sustentação de um regime que não aceitava a contestação dos seus fundamentos, e uma classe política que não punha em jogo a sua permanência no poder. É esta a tese da presente exposição que assim se opõe à ciência histórica em vigor.
Com o apoio da Causa Real esta exposição está gratuitamente aberta ao público até 15 de Outubro, de Segunda a Sexta, no Palácio da Independência, em Lisboa. É feita à margem das comemorações oficiais dos cem anos da república portuguesa e também à margem da investigação oficial sobre os primórdios do regime republicano.
(*) A
Plataforma Centenário da República é uma iniciativa de um grupo de cidadãos independentes que, tendo em vista as próximas celebrações dos cem anos sobre a revolução republicana de 5 de Outubro, se reúne para uma abordagem histórica em contraponto às comemorações oficiais.