Arautos d'El-Rei | Leis imorais “não são de respeitar”, afirma o Cardeal D. António Cañizares
334
post-template-default,single,single-post,postid-334,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Leis imorais “não são de respeitar”, afirma o Cardeal D. António Cañizares

MADRID, 2 Ago. 2010 – ACI
O Cardeal António Cañizares, Prefeito da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, declarou que as normas que não protegem a vida ou que vão contra ela “
não são de respeitar“.
Ao encerrar o curso de Verão sobre “O imenso valor da Vida”, na Universidade Juan Carlos, em Aranjuez (Espanha), o Cardeal Cañizares explicou que quando uma norma “legaliza” o aborto ou a eutanásia, “
deixa de ser uma verdadeira lei civil moralmente vinculante“.
Neguemo-nos a cooperar com qualquer iniciativa que atente contra a vida, não concedamos a nossa adesão a pessoas, instituições, obras ou disposições que vão ou que pretendam ir contra a vida, pois não podemos aderir a quem nega algo tão fundamental, comentou.
Explicou igualmente que “quem nega o direito à vida está contra a democracia e conduz a sociedade ao desastre”.
“Não tardará o tempo em que nos envergonharemos [do aborto], assim como já nos envergonhámos da escravatura”, acrescentou.