Arautos d'El-Rei | Na Madeira, os Crucifixos vão continuar nas Escolas
333
post-template-default,single,single-post,postid-333,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Na Madeira, os Crucifixos vão continuar nas Escolas

_________________________

Por despacho do Presidente do Governo Regional da Madeira, os Crucifixos vão continuar nas Escolas.

À semelhança do que fizeram numerosas e importantes autoridades civis na Itália, o Dr. Alberto João Jardim considerou que a “Madeira não deve pactuar com aquilo a que se chama “euroesclerose”, marcada por um ataque aos Valores que suportam a civilização europeia e determinou que os Crucifixos se mantenham nas Escolas.

Seria digno e justo, louvável e salutar, que a Conferência Episcopal Portuguesa apoiasse publica e categoricamente esta iniciativa, já que nada fez de assinalável quando o governo socialista mandou retirar dos estabelecimentos de ensino o mais importante símbolo do Cristianismo e da nossa Civilização.

__________________________________________

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL DA MADEIRA
Despacho n.º 17/2010

– Considerando que a Região Autónoma da Madeira não deve pactuar com aquilo a que se chama «euroesclerose», marcada por um ataque aos Valores que suportam a civilização europeia, consequência também das correntes auto-denominadas de “pós – modernismo”;
 – Considerando que não é possível, sob o ponto de vista da realidade cultural e da sua necessária pedagogia escolar, conceber a Europa e Portugal sem as bases fundamentais do Cristianismo;
– Considerando que, por tal, a laicidade do Estado não é minimamente lesada pela presença de Crucifixos nas Escolas e, pelo contrário, incumbe ao Estado laico dar uma perspectiva correcta da génese civilizacional dos povos, bem como dos Valores que suportam o respectivo desenvolvimento cultural;
– Considerando que os Crucifixos não representam em particular apenas a Igreja Católica, mas todos os Cultos fundados na mesma Raiz que moldou a civilização europeia;
Não há, assim, qualquer razão para a retirada dos mesmos Crucifixos das Escolas, pelo que determino a sua manutenção.

O presente Despacho vai para publicação no “Jornal Oficial” da Região Autónoma da Madeira e para execução pelo Senhor Secretário Regional de Educação e Cultura.

Funchal, 14 de Julho de 2010.
O PRESIDENTE DO GOVERNO REGIONAL DA MADEIRA,
Alberto João Cardoso Gonçalves Jardim