Arautos d'El-Rei | A Ditadura do Relativismo
308
post-template-default,single,single-post,postid-308,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

A Ditadura do Relativismo

O grande debate do nosso tempo – afirma Roberto de Mattei – não é de natureza política nem económica, mas de carácter cultural, moral e, em última análise, religioso. Desta polémica emergem duas visões do mundo: a visão dos que acreditam que há princípios e valores imutáveis e a visão daqueles que sustentam que não existe coisa alguma que seja estável e permanente, sendo todas as coisas relativas ao tempo, aos lugares, às circunstâncias.

Não existindo valores absolutos nem direitos objectivos, a vida humana reduz-se a um hedonismo espasmódico e à satisfação egoísta de instintos e “necessidades” subjectivas, que aparecem sob a forma de novos “direitos”. O autor cita Bento XVI que afirmou então existir “uma ditadura do relativismo, que não reconhece coisa alguma como definitiva…”
Estas ideias simples são o fio condutor desta obra e uma excelente chave interpretativa e útil para a compreensão da profunda crise do nosso tempo.

Autor: Roberto de Mattei
Título: A Ditadura do Relativismo
Editora: Livraria Civilização Editora, Porto, 2008, 104 págs.
ISBN: 978-972-26-2738-2