Arautos d'El-Rei | Maria Antonieta – Vida e Morte da última Grande Rainha de França
10
post-template-default,single,single-post,postid-10,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,vss_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Maria Antonieta – Vida e Morte da última Grande Rainha de França

No dia 3 de Abril de 2006 teve lugar em Portugal o lançamento da obra “Maria Antonieta – Vida e Morte da última Grande Rainha de França“, da autoria da Arquiduquesa Catalina de Habsburgo. Um dia depois do terrível terramoto que abalou a cidade de Lisboa, nascia em Viena, a 2 de Novembro de 1755, a arquiduquesa Maria Antonieta de Habsburgo-Lorena. Os padrinhos de baptismo foram os seus tios, D. José I e D. Mariana Vitória, Rei e Rainha de Portugal.

Em 1770 Maria Antonieta casou, por procuração, com o delfim Luís, futuro Luís XVI, e foi viver para a corte francesa onde fervilhavam a intriga e as disputas políticas. Assegurada a sucessão, a nova rainha de França tenta guiar-se pelo sentido de responsabilidade dos seus antepassados mas, odiada pelos franceses, a sua reputação ficou manchada por infames calúnias. Foi acusada de ser uma meretriz, uma espia, uma delapidadora do erário público. Com a Revolução Francesa, foi presa, julgada em tribunal revolucionário e guilhotinada a 16 de Outubro de 1793.

Catalina de Habsburgo-Lorena, Arquiduquesa de Áustria, apresenta os feitos que marcaram a vida da sua antepassada, com um ágil ritmo narrativo. Descendente directa de Carlos V e neta do último Imperador da Áustria (Carlos de Habsburgo), é licenciada em Ciências Políticas e especializou-se em Direito pela Universidade de Lovaina, na Bélgica. É autora de uma obra sobre a realpolitik de Napoleão, Bismarck e Margaret Thatcher, em comparação à política de Franco. Foi directora do Departamento de Relações Internacionais da Universidade de Segóvia e jornalista na Rádio Espanha. Actualmente vive perto de Milão com o seu marido, o conde Massimiliano Secco d’Áragona, e os seus dois filhos.